Atualizações por RSS e Email

25 de agosto de 2010

Convite à leitura. Tempo e Tradição: Interpretando a antropologia.

O autor Roberto Cardoso de Oliveira, apresenta no texto - Tempo e Tradição: Interpretando a antropologia, as matrizes do pensamento antropológico, evidenciando as escolas de pensamento e seus paradigmas, e como as mesmas auxiliaram na construção da disciplina.
Para tal exercício pergunta-se: Qual é o SER da antropologia?

Esta indicação de leitura pode ser grande fonte de conhecimento, tanto aos pesquisadores em ciência sociais, como para àreas correlatas aos estudos da sociedade.
Digo isso, pelo fato de perceber que a antropologia, junto ao seu método que hoje se populariza - a etnografia, são utilizadas em diversos campos profissionais (neste caso cito diretamente o exemplo da Moda), para gerar dados e conhecimentos de uma dada realidade; Trabalho às vezes, empreendido sem compreensão do que se trata a disciplina, e o seu método.

O texto foi publicado em CARDOSO de OLIVEIRA, R.1988. Sobre o pensamento antropológico. RJ: Tempo Brasileiro.p13-25
Também é possível lê-lo neste site:
http://www.scribd.com/doc/28211218/Roberto-Cardoso-de-Oliveira-Tempo-e-tradicao


Nota biográfica.
Roberto Cardoso de Oliveira (1928 - 2006), antropológo brasileiro, nascido em São Paulo-SP.
Suas principais publicações são:
- “O Processo de Assimilação dos Terêna” Edição Museu Nacional, Série Livros I, Rio de Janeiro, 160 p.p., 1960.
“O Índio no Mundo dos Brancos: a Situação dos Tukúna do Alto Solimões” Difusão Européia do Livro, Coleção Corpo e Alma do Brasil, São Paulo, 143 p.p., 1964.
“Urbanização e Tribalismo” Zahar Editora, Rio de Janeiro, 237 p.p., 1968.
“A Sociologia do Brasil Indígena” Edições Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, 149 p.p., 1972.
Edição Mexicana de “Urbanizacion y Tribalismo” Ediciones Especiales nº63 do Instituto Indigenista Interamericano, Mexico, 1972.
“Identidade, Etnia e Estrutura Social” Pioneira Editora, São Paulo, 118 p.p., 1978.
“Marcel Mauss” Editora Ática, São Paulo, 296 p.p., 1979.
“Enigmas e Soluções” Edições Tempo Brasileiro Ltda, 208 p.p., 1983.
“W. H. R. Rivers” (Org.) Editora Ática, São Paulo, 1985.
“Identidad y Etnicidad en America Latina” Nueva Imagm, Mexico, 1985.
“A crise do Indigenismo” Editora da Unicamp, Campinas, 96 p.p., 1988.
“Sobre o Pensamento Antropológico” Edições Tempo Brasileiro/CNPq, Rio de Janeiro, 201 p.p., 1988.
“A Antropologia de Rivers” Editora da Unicamp, Campinas, 1991
“Razão e Afetividade: O pensamento de L. Lévy-Bruhl” Editora da Unicamp, Campinas, 182 p.p. 1991.
“Estilos de Antropologia” com RUBEN, G. R. (Orgs.) Editora da Unicamp, Campinas. 213 p.p. 1995.
“Ensaios Antropológicos sobre Moral e Ética” Edições Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro. 188 p.p. 1996
“O Trabalho do Antropólogo” Paralelo 15 Editora, Brasilia. 220 p.p. 1998.
“Os Diários e suas Margens: Viagem aos Territórios Terêna e Tükúna”. Editora Universidade de Brasília, Brasília. 346 p.p. 2002.
Indicado para estudos sobre o papel do índio e o fazer entonológico; epistemologia da antropologia, e discussões acerca do 'fazer' antropológico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário